APRENDA SHIBARI E OUTROS


SHIBARI

O Japão, um país-ilha com escassez de recursos naturais. Na Era Feudal, todo o aço e ferro eram usados para fabricar armas. A corda era uma ferramenta do dia a dia. Os militares, por exemplo, não tinham grilhões para garantir que os prisioneiros não fugissem. Então criaram amarrações.
Depois, a técnica foi “roubada” por sadomasoquistas.
Tudo que te aperta e imobiliza traz desconforto. Mas, dentro do sadomasoquismo, existem dois tipos de dor: a boa e a ruim. A ruim não dá nenhum prazer, é insuportável. Na hora da amarração, você dosa a tensão que dá no nó. E isso determina se a pessoa poderá ter alguma liberdade de movimentos ou ficará imóvel por mais que tente se contorcer. Depende do objetivo. Se apertar demais o nó, terá que desatar logo para não ser prejudicial à saúde.
Toshi

http://colunas.revistaepoca.globo.com/sexpedia/2012/05/31/shibari-a-tecnica-de-quem-se-amarra-em-fetiche-sadomaso/


.............................


(Do Japonês: "Shibari" - amarrar)
 Termo genérico utilizado atualmente para designar o bondage japonês.
Técnica de bondage extremamente estética, derivada do "Hojojutsu" (ver:- hojojutsu) e originária no Japão feudal, com profundas raízes na cultura Japonesa. Cada clã medieval japonês possuía sua própria técnica que era zelosamente guardada. Inicialmente era utilizada como forma de imobilização, castigo e punição aos prisioneiros.
O Shibari ou hojojutsu era aplicado pela polícia local e pelos samurais com dois objetivos principais: imobilizar a vítima e coloca-la em uma postura de submissão e humilhação.
O Shibari teve uma revalorização erótica á partir de 1960. No japão é formalmente conhecida como "Kinbaku-bi" e existem teatros especializados onde se pode, mediante pagamento de ingresso, assistir a um espetáculo de shibari. Os mestres de Shibari japonês são muito respeitados.
 A mulher japonesa que é submetida ao shibari recebe o nome de "Dorei" -
Bondage -
O "B" do BDSM. Bondage na verdade conforma as práticas de escravização. Popularmente usado para referir-se a atividades de imobilização com cordas, lenços, algemas de couro ou metal, tornozeleiras, "spread bars" (barras de alargamento que servem para manter pernas e braços abertos visando à imobilização do(a) parceiro(a). Todas as "cenas" de Bondage remetem ao tema básico: o cativeiro. Dentro dos grupos e comunidades de BDSM existe uma regra básica de segurança, definindo que imobilizações ou "amarrações" só são feitas do tórax para baixo. Cabeça e pescoço são áreas proibidas devido à possibilidade de asfixia. Dentro do S.S.C. há um limite de tempo para se deixar alguém imobilizado, em decorrência da possibilidade de isquemia tecidual, ou seja, da falta de irrigação sangüínea em uma área. Algumas pessoas acham extremamente sensual a situação de estarem imobilizadas, à mercê de outrem. Estar fisicamente imobilizado dentro de um contexto de consensualidade dá a possibilidade para os aficcionados de experienciar sua sexualidade livremente, o que, talvez, de outro modo, estas pessoas poderiam não ser capazes de se permitir em virtude de questões morais ou de educação. Bondage pode ser também visto como a transferência da responsabilidade para quem coordena a ação.
Diferenças
O bondage e o shibari, à primeira vista, têm a função de imobilizar, mas quando são observados com mais atenção, são encontradas algumas diferenças. O Bondage Americano é uma técnica de amarração com o propósito de imobilizar rápido, não havendo preocupação com a parte estética e evitando marcar a pele da pessoa com as cordas.
 O shibari exige muita destreza com as cordas, e muita paciência também, o que resulta num processo mais lento porque a estética é altamente valorizada.
MonteNegro
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080826235942AA9aMDx


.........................................


VERDUGO












COMO LAVAR CORDAS


CORDAS PLÁSTICAS

MATERIAL VIRGEM

Todas as cordas são produzidas a partir de fibras sintéticas e tem em sua aplicação fatores de risco que geralmente relacionam-se com a segurança de bens ou pessoas. Devido a essa responsabilidade, as fibras sintéticas utilizadas em sua fabricação devem ter preservadas todas suas características físicas e químicas. Somente as fibras virgens dispõe de 100% de todas as características originais, proporcionando ao produto uma maior resistência a fatores mecânicos, melhor aparência e maior leveza, garantindo assim uma quantidade de metros por quilo bem maior que as cordas dos concorrentes fabricadas com material reciclado, bem como uma maior resistência à ruptura e à abrasão.
As fibras feitas com material reciclado chegam a perder mais de 50% de suas propriedades.
Compare o rendimento (metros por quilo) de nossas cordas com as cordas dos concorrentes, e perceberá que a relação custo/benefício de nossos produtos são bem menores, proporcionando assim uma maior economia e maior segurança.

a)      POLIAMIDA

CORDA NYLON POLIAMIDA TRANÇADA 
CORDA  NYLON POLIAMIDA TORCIDA 

DURABILIDADE
EXCELENTE

RESISTÊNCIA À ABRASÃO
EXCELENTE


ELASTICIDADE
BOA


PESO ESPECÍFICO

ALTO


ABSORÇÃO DE ÁGUA

ELEVADA

FLUTUABILIDADE

NEGATIVA


Diâmetro da corda
Resistência (kgf)
Gramas p/ metro
metros por quilo
Kilos P/rolo
Diâmetro da corda
Resistência (kgf)
Gramas  p/ metro
metros por quilo
Kilos P/rolo
1,5  mm 
70
1,85
540,50
1
1/4” –6 mm 
735
24
41,60
5,3
2,0  mm 
100
2,90
344,80
2
5/16”- 8 mm 
1.320
42
23,80
9,2
2,5  mm 
140
4,25
235,30
1
3/8” – 10 mm 
2.040
65
15,60
14
3,0  mm 
190
7,00
142,90
1
1/2” – 12 mm 
2.940
945
10,50
21
3,5  mm 
300
8,65
115,60
4
9/16” – 14 mm 
4.040
128
7,80
28
4,0  mm 
380
9,30
107,50
3
5/8” – 16 mm 
5.190
166
5,90
37
5,0  mm 
550
16,20
61,70
4
3/4” – 18 mm 
6.560
210
4,70
46
6,0  mm 
650
23,00
43,50
6,5
13/16” – 20 mm 
8.140
260
3,80
57
7,0  mm 
770
30,90
32,40
8,5
7/8” – 22 mm 
9.800
315
3,10
69
8,0  mm 
900
40,80
24,50
8,5
1” – 24 mm 
11.800
375
2,60
82
10,0  mm 
1.300
64,25
15,60
12
1.1/32” –26 mm 
13.700
44
2,10
97
12,0  mm 
2.200
108,25
9,25
25
1.1/8” – 28 mm 
15.500
510
1,90
112
14,0  mm 
2.700
134,60
7,40
33
1.1/4” – 30 mm 
17.400
585
1,70
129
16,0  mm 
3.100
175,35
5,70
43
1.3/8” – 32 mm 
19.600
665
1,50
146
18,0  mm 
3.850
210,00
4,80
52,5
1.1/2” –36 mm 
24.300
840
1,10
185




1.5/8” – 40 mm 
29.400
1.040
0,96
229




1.3/4” – 44 mm 
35.100
1.260
0,79
277




2” – 48 mm 
41.200
1.500
0,55
330




2.1/2” –60 mm 
62.500
2,33
0,43
512




2.5/8” – 64 mm 
70.600
2,65
0,38
583
CORDAS TIPO BOMBEIRO - ESPECIAIS
Corda de poliamida trançada de ½" (bombeiro) 
com 03 capas e alma, alerta visual  amarelo na segunda capa e alma,
fita de identificação com norma NR18, razão social e CNPJ fabricante.
Carga de Ruptura: 2000 kgf (kilo força) 
(COM LAUDO TÉCNICO)
Rolos com 25 kg -  250 metros
(aprox. 0,1 kg/m) 
                                                   
CORDAS ESPECIAIS EM POLIAMIDA E POLIETILENO
CORDAS PARA RAPEL
Diâmetro
Cor
RESISTÊNCIA:
11 mm
LARANJA 
3.000 kg
11 mm 
BRANCA     
3.000 kg
10 mm
BRANCA
10 mm
LARANJA
9 mm
BRANCA
9 mm
LARANJA

Corda laranja com filete preto ( capa de poliéster e alma de poliamida)
Corda branca com filete preto ( capa e alma  100% poliamida )
Carga de ruptura – 3.000kgf (11 mm)**

b)      POLIETILENO

CORDA DE POLIETILENO TORCIDO 
NA COR AZUL (ROLOS C/ 220m)
RESISTÊNCIA À ABRASÃO
MODERADA
FLUTUABILIDADE
BOA
ABSORÇÃO DE ÁGUA
POUCA
DURABILIDADE
EXCELENTE
ELASTICIDADE
BOA
PESO ESPECÍFICO
BAIXO
DIAMETRO polegada
DIÁM. mm
Resistência (kgf)
metros por quilo
Kilos P/rolo
1/8”
3 mm 
52
200
5
5/32”
4 mm 
100
125
5
3/16”     
5 mm 
140
76,9
12
1/4”
6 mm 
200
55,6
5
5/16”   
8 mm 
350
30,3
8
3/8”
10 mm 
545
20
11
1/2”
12 mm 
770
13,8
16
9/16”   
14 mm 
1.045
10,5
21
5/8”
16 mm 
1.400
7,9
28
3/4”
18 mm 
1.750
6,3
35
13/16”
20 mm 
2.150
5
44
7/8”   
22 mm 
2.550
4,2
53
 1”
24 mm 
3.050
3,4
65
1.1/32”
26 mm 
3.550
2,9
75
1.1/8”
28 mm 
4.000
2,6
86
1.1/4”
30 mm 
4.600
2,2
101
1.3/8”
32 mm 
5.200
1,9
115
1.1/2”
36 mm 
6.500
1,5
160
1.5/8”
40 mm 
7.800
1,3
173
1.3/4”   
44 mm 
9.400
1,1
209
2”
48 mm 
11.200
0,87
253
2.1/2”
60 mm 
16.800
0,56
396
2.5/8”
64 mm 
18.950
0,49
447
ESTAS CORDAS PODEM SER PRODUZIDAS EM OUTRAS CORES,
 MAS POR SEREM FORA DE NOSSOS PADRÕES, 
NÃO AS MANTEMOS EM ESTOQUE, ASSIM SENDO O PRAZO DE ENTREGA 
SERÁ ENTRE 10 E 15 DIAS E O PREÇO SOFRERÁ UM ACRÉSCIMO DE 10%.

c) POLIPROPILENO
CORDA DE POLIPROPILENO TORCIDO  COR
CORDA DE POLIPROPILENO TRANÇADO 
 BRANCA ( MULTIFILAMENTO) carretéis de 220 m

COR BRANCA


RESISTÊNCIA À ABRASÃO
MODERADA


DURABILIDADE

BOA

FLUTUABILIDADE
EXCELENTE


ELASTICIDADE

BOA

ABSORÇÃO DE ÁGUA


POUCA


PESO ESPECÍFICO

BAIXO

DIÂMETRO DA CORDA (polegada)
diâmetro mm
Resistência (kgf)
gramas P/METRO
METROS P/ kg
kg P/CARRETEL
DIÂMETRO DA CORDA
Resistência (kgf)
PESO P/METRO
METROS P/ kg
kg P/ rolo
1/4"
6 mm 
550
17
58,8
4,5
1,5 mm
50
1,50
666,60
1,00
5/16"
8 mm 
960
30
33,3
7,5
2,0 mm
70
2,20
454,50
1,00
3/8"
10 mm 
1.425
45
22,2
10
2,5 mm
100
3,00
333,30
1,00
1/2"
12 mm 
2.030
64
15,6
14
3,0 mm
140
4,25
235,20
1,00
9/16"   
14 mm 
2.790
91
11
20
3,5 mm
230
5,85
170,90
1,00
5/8"
16 mm 
3.500
114
8,8
25
4,0 mm
290
8,20
121,90
4,00
3/4"
18 mm 
4.450
150
6,7
33
5,0 mm
410
13,60
73,50
4,00
13/16"   
20 mm 
5.370
182
5,5
40
6,0 mm
490
16,25
61,50
4,00
7/8"
22 mm 
6.500
218
4,6
48
8,0 mm
1.050
33,85
29,50
7,50
1"
24 mm 
7.600
259
3,8
57
10,0 mm
1.360
51,25
19,50
12,80
1.1/32"
26 mm 
8.900
305
3,3
67
12,0 mm
1.790
74,15
13,50
18,60
1.1/8"     
28 mm 
10.100
355
2,8
78
14,0 mm
2.160
98,75
10,10
25,60
1.1/4"
30 mm 
11.500
405
2,5
89
16,0 mm
2.331
135,15
7,40
33,00
1.3/8" 
32 mm 
12.800
459
2,2
101
18,0 mm
2.560
153,00
6,50
37,40
1.1/2"   
36 mm 
16.100
586
1,7
129





1.5/8"   
40 mm 
19.400
718
1,4
158





1.3/4"
44 mm 
23.400
882
1,2
194





2”
48 mm 
27.200
1.040
0,96
229





2.1/2”
60 mm 
32.300
1.630
0,61
359





2.5/8”
64 mm 
37.650
1.850
0,54
407






CARACTERÍSTICAS DAS CORDAS DE POLIETILENO
Os dados referentes a rentabilidade, peso, e ruptura poderão variar até + ou - 10%.
* Não utilizar este produto em atividade que envolva risco de vida sem que seja feito o dimensionamento correto da corda.
Cordas de Polipropileno:
Cordas produzidas em sua totalidade a partir de fio de Polipropileno (PP) 100% virgem, com tecnologia ANTI UV, que protege o produto dos raios ultravioletas, permitindo a exposição ao sol. Bitolas variando entre 1,5 mm e 14 mm , com uma variada cartela de cores.






CORDAS - MATERIAL
fonte: site dos bombeiros
RESISTÊNCIA
fonte: site dos bombeiros



























MEUS TREINOS





SUSPENSÃO DE BRAÇO 1
video

SUSPENSÃO DE BRAÇO 2
video

SUSPENSÃO DE BRAÇO PELO PUNHO - 1

SUSPENSÃO DE BRAÇO PELO PUNHO - 2

SUSPENSÃO DE PERNA PELA COXA

SUSPENSÃO DE COXA

SUSPENSÃO DE BRAÇO OU COXA - 1
video

SUSPENSÃO DE BRAÇO OU COXA - 2
video

SUSPENSÃO DE PÉ PRESO AO CALCANHAR

NÓ EM TUBO ÚNICO

PRENDENDO TRÊS TUBOS PARALELOS

PRENDENDO DOIS TUBOS EM CRUZ

NÓ EM X

SEQUÊNCIA EM GOMOS
video



NÓ EM TUBO ÚNICO - 2

PARA PRENDER EM MOSQUETÃO
PARA SUSPENSÃO

PRENDENDO PÉS CRUZADOS
ATÉ PANTURRILHA
 

PARA PRENDER PELO CABELO
 

ALGEMA
video

ALGEMA DE PULSO OU BRAÇO
COM NO QUADRADO NO CENTRO
  

ALGEMA DE DEDOS E MÃO
PARA SUSPENSÃO DE BRAÇO
video

ALGEMA DE DEDO - 
IMOBILIZAÇÃO DE BRAÇO
video

ALGEMA DE DEDOS DOS PÉS
video

CORSET PENTAGRAMA


DUPLO OITO HORIZONTAL


OITO HORIZONTAL
video

OITO DEITADO
video

PARA PRENDER ARGOLA COM ARREMATE
COM SEQUÊNCIA EM ESPIRAL


CORRENTE PARA GUARDAR A CORDA
SEM EMBOLAR


KADARA COM NÓ EM OITO HORIZONTAL

IMOBILIZAÇÃO DE BRAÇO COM TUBO
COM NÓ EM X DEIXANDO ALÇA

IMOBILIZAÇÃO DE OMBROS,
BRAÇOS E PUNHOS

IMOBILIZAÇÃO DE OMBROS,
COM DETALHE NA AXILA E
CORSET DE SEIO

IMOBILIZAÇÃO DE BRUÇOS
UNINDO PUNHO AO CALCANHAR

IMOBILIZAÇÃO DE BRAÇOS
COM ALGEMA TRABALHADA E
DETALHE ENTRE AS PERNAS E EM AXILA

IMOBILIZAÇÃO DOS BRAÇOS PELOS PUNHOS
COM CORSET DE SEIOS
TIPO TOMARA QUE CAIA

FLOR SIMPLES + FLOR MEIA LUA
video

FLOR SIMPLES 2
video


FLOR COM 2 ALÇAS
video

FLOR COM 3 ALÇAS
video

FLOR PARA MEIO COM CORDA DUPLA
video

FLOR BOTÃO PARA MEIO
video

FLOR DUPLA PARA MEIO
video

FLOR QUADRADA PARA MEIO
video

NÓ CRUZ NO MEIO
video

NÓ DUPLO PARA MEIO
video


NÓ TRIPLO PARA ARREMATE DE PONTA
video

NÓ DIAMANTE - PARA MEIO DE DUAS CORDAS
video

SEQUÊNCIA EM ESPIRAL
video

SEQUÊNCIA COM 1 CORDA - 1
video

SEQUÊNCIA COM 1 CORDA - 2
video

SEQUÊNCIA COM 2 CORES - 1
video

SEQUÊNCIA COM 2 CORES - 2
video

SEQUÊNCIA EM TRANÇA
video

SEQUÊNCIA EM ESCADA
video

SEQUÊNCIA TORCIDA
video

SEQUÊNCIA DE QUADRADINHOS
video

SEQUÊNCIA EM MEIA-LUA
video

NÓ QUE DESLIZA COM MAIS 1 ALÇA
video

NÓ QUADRADO COM 2 ALÇAS
video

ALÇA CENTRAL REGULÁVEL
video

GOTA COM ALÇA 
video

ESTRELA DE 4 RAIOS OU ALÇAS
video

ENFEITE TIPO COLAR - 1
video

ENFEITE TIPO COLAR - 2
video

ENFEITE TIPO COLAR - 3
video

ENFEITE TIPO COLAR - 3.1
video

ENFEITE TIPO COLAR - 4
video

ENFEITE TIPO COLAR - 5
video

ORELHINHAS - 1
video

ORELHINHAS - 2
video

ORELHINHAS - 3
video

ORELHINHAS - 4
video

COBRIR UM CANO
video

ARREMATE DE PONTA PARA 
GUARDAR A CORDA
video

CHICOTE DE CORDA COM 
CABO DE CORDA
video

QUADRO TEIA DE ARANHA
video

CALCINHA
video

VENDA
video

COMO TINGIR CORDAS DE ALGODÃO
video

SHIBARI'S LINDOS
video

EMENDA SEGURA DE 
2 CORDAS SIMPLES
video

EMENDA SEGURA DE 
2 CORDAS DUPLAS
video

DESTORCENDO A CORDA
video

TREVO
video














Como fazer um belo chicote

Podem ser usados vários tipos de cordas deixando cada um com um "peso" diferente, eu recomendo as cordas de algodão..as a base de nylon não são tão boas.





























Aprenda

1 folha de EVA


1 tubo PVC de mais ou menos 20 cm


20m de courino trançado


Cola quente


Super Bonder


2 pés de mesa de borracha que encaixem no tubo PVC


Como fazer:
1. corte o EVA em uma tira de mais ou menos 4x70cm


2. Enrole o EVA junto ao PVC fazendo com quem ele se sobreponha durante o enrola


3. Coloque uma gota de super bonder pra fixar as pontas


4. Corte o corino trançado em tiras de aproximadamente 60 cm


5. Pegue um dos pés de mesa e faça um furo de aproximadamente 2 cm de diâmetro e passe todas as tiras por dentro dele de forma que o mais alinhadas possível, essa parte é trabalhosa e cansativa, mas se você nao quer perder material é bom q faça certinho isso


6. Envolva de cola quente o lado que não for servir como chicote


7. Coloque os pés de mesa um de cada lado, pingado super bonder para sela-los junto ao PVC, lembre-se que essa parte não pode haver erros, pois uma vez seca, a super bonder não deixará você mover os pés de mesa


Está pronto!


fonte: Rhods

Nenhum comentário:

Postar um comentário